No princípio era o verbo

 Processed with VSCOcam with x4 preset

O Evangelho do Apóstolo João inicia com uma sagrada revelação: 

No início era o Verbo, e o Verbo estava com Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele e sem Ele nada foi feito... E o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Veio para o que era seu e os seus não o receberam, mas a todos os que o receberam deu poder de se tornarem filhos de Deus...

A muitas reflexões estas palavras de João nos podem conduzir, mas optamos refletir sobre a nossa saga pessoal em nos tornarmos filhos de Deus. No livro A Caminho da Luz, o espírito Emmanuel nos esclarece o papel de Jesus como o verbo de Deus na Terra, portanto, a ação, a manifestação divina entre nós. Responsável por nossa abençoada escola planetária e dinamizador de nosso processo evolutivo, o divino Mestre veio à nós para desvelar nossa filiação divina.

Diz-nos o evangelista que a todos os que o recebem, Ele dá o poder de tornarem-se filhos de Deus, mas como nos tornaremos filhos se, em realidade, já o somos? Podemos compreender a ideia de receber o Cristo como sendo o estudo e a aplicação de Seus ensinamentos em nossas vidas através das escolhas que fazemos dia-a-dia, assim como tornar-se filho de Deus pode ser interpretado como nossa integração definitiva no concerto cósmico da vivência das divinas leis. diz-nos o Senhor, porém, que pequena é a porta da vida e são poucos a encontrá-la (Mateus 7:13-14), como a alertar que necessitaremos de esforço e perseverança nessa empreitada. 

Como verbo do Princípio, Jesus possui o poder fluídico dos puros espíritos para nos auxiliar nessa conquista, para curar-nos de nossos males e sofrimentos, para ser o caminho que nos conduzirá à integração divina, mas necessita de nosso desejo de mudança, de nossos estudos e perseverança nas ações do bem, que abrem o nosso psiquismo para a recepção de Sua renovadora ajuda.

Nascemos para aprender lições que nos possibilitarão avançar nesse caminho da iluminação pessoal (O Livro dos Espíritos, questões 132 e 133). Inseridos em um processo educativo personalizado, que nos impulsiona à sabedoria e ao amor, nossas experiências são eventos externos que as necessidades íntimas atraíram. Quando, então, aflições ou doenças surgem em nossa caminhada evolutiva precisamos nos questionar: que ensinamentos esses eventos me trazem? Que emoções são geradas a partir deles, com as quais eu preciso entrar em contato para equilibrar-me?

Em realidade, são os sofrimentos e dificuldades que evidenciam nossas crenças limitantes. Entre em contato, querido(a) irmão(ã), com esse material, sem medo, pois é seguro olhar para dentro! Pergunte-se: este meu problema está vinculado a alguma crença limitante? Foi gerado por alguma ação minha?

Observe em você o que pode estar lhe dificultando a marcha ascensional. Com um mergulho mais profundo perceberá que não são os eventos externos ou as pessoas que lhe cercam que lhe trazem os obstáculos para a iluminação, mas os pensamentos perturbadores que afloram nos momentos desafiadores e que estimulam em você emoções, sentimentos dolorosos e possivelmente reações ruins.

Experimente uma nova abordagem na análise das situações perturbadoras, percebendo-as como treinos de amadurecimento espiritual e emocional para aquisição de habilidades novas com as quais possa lidar melhor com seus problemas. outras questões úteis são: que ensinamento de Jesus se aplica a esse caso? Qual deverá ser a atitude de um(a) filho(a) de deus nessa situação.

Nossas experiências, escolhas, o que passamos quando crianças e até vivências de outras existências, geram moldes psíquicos que orientam nossa percepção da realidade atual, limitando-a ou não, sem nos apercebermos, pois atuam de forma muitas vezes inconsciente e com o poder de nos conduzir a transtornos emocionais e comportamentos disfuncionais. Além disso, os pensamentos que emitimos tecem o nosso futuro, atraindo situações e pessoas para o nosso convívio. 

Por tudo isso, reflita: só você tem o poder de calar uma palavra geradora de conflito, que, como energia que é, vai envenenar os tecidos sutis de sua alma, seja qual for a razão que o estimule a isso. Só você tem o poder de dizer basta para os costumes que degeneram seu corpo e sua mente! Jesus depende da sua vontade e perseverança para renovar sua vida... decida, então, que o passado acabou e que, quando os obstáculos surgirem, com Jesus, suas escolhas serão as que integrarão você no concerto cósmico, como filho(a) de Deus! 

É urgente identificarmos as crenças limitantes motivadoras das nossas opções e nossos traços de personalidade, porém não alimente, amigo(a), sentimentos de culpa que paralisam as sementes de mudança. Estamos em pleno processo evolutivo. os espíritos nos esclarecem que fomos criados simples, ignorantes das coisas da vida, em aprendizagem com Jesus, nosso modelo, nosso guia. 

Esse processo certamente irá exigir de você a dinâmica da humildade. Para compreendermos sua real significação e, assim, integrá-la definitivamente em nossa forma de caminhar no mundo, uma história em torno da formação desse vocábulo nos pode auxiliar. Conta-se que, no Antigo Egito, após a época de cheia do rio Nilo, as margens que haviam sido tocadas pelas águas ficavam repletas de húmus, uma substância que nutria de forma excepcional tudo o que ali se plantasse. daí surgiu a palavra humildade, significando que o ser que a possui torna belo e cheio de vida tudo aquilo que toca, tendo o poder de vivificar sem aparecer. humilde seria o filho de Deus, aquele que recebe a água da vida, se integra à ela, e, sentindo-se igual à todos, abre mão do poder que manda e constrange, para assumir a autoridade dos que, com sua honestidade, dedicação e ética, constroem o respeito e o amor de todos ao seu redor.

Ao deitar-se à noite, em suas preces, exercite, amigo(a), visualizar Jesus à sua frente, o Senhor da Humildade com seus cabelos sobre os ombros, suas vestes luminosas, seu olhar límpido e amoroso... Narra o apóstolo Mateus (IV:23 a 25) que Jesus ia, por toda a galileia, ensinando o Evangelho do Reino, amparando os aflitos, levantando os caídos, libertando obsidiados e obsessores, curando todos os abatimentos e todas as enfermidades... Permita-se sentir-se amado(a) por Ele... Seja a terra do seu coração como as margens do Nilo, recebendo as águas renovadoras, a nova Galileia, deixe o verbo do Princípio cuidar de você, perceba-se, enfim, como filho(a) de Deus

Texto retirado do livro "Vivências com Jesus", de Yasmin Madeira
http://www.clubedearte.org/livros/livro-vivencias-com-jesus