Experienciar Deus

Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, esclarece-nos que a parte mais significativa da revelação do Cristo, a pedra angular de toda a sua doutrina, é o ponto de vista inteiramente novo sob o qual considera a divindade. Já não se trata mais do Senhor dos Exércitos, temível, cruel, absolutamente passional, apresentado pelo Velho Testamento hebraico, mas o paizinho cheio de mansidão, misericórdia, justo e bom, que perdoa o pecador arrependido e dá a cada segundo as suas obras, sem privilégios e vãs promessas de glórias materiais aos seus seguidores.

Toda a doutrina do Cristo se funda na imortalidade da alma e na paternidade divina, o que altera profundamente as nossas relações mútuas, impondo-nos novas obrigações: não são apenas os parentes consanguíneos os que merecem o nosso zelo, atenção e amparo. Todos somos irmãos. É a Era da fraternidade Universal!

Kardec, elucidando e desenvolvendo o ensino cristão, abre o Livro dos Espíritos com a questão: Que é Deus? Ressalte-se a total ausência de pré-conceito, em sua lúcida postura de pesquisador. Não coloca em sua questão “quem é Deus”, nem tampouco “o que é Deus”... Nenhuma indução... “Deus é a Inteligência Suprema, causa primária de todas as coisas” proclama, em resposta, a falange do Espirito de Verdade! Não mais o Deus antropomórfico de longas e brancas barbas, mas a Consciência Cósmica imaterial, imutável, eterna, onipotente, infinitamente perfeita, única.

A Suprema e Soberana inteligência criadora de vida, de tudo o que existe e das leis que regem os universos material, espiritual, emocional e ético, é também a Fonte Inesgotável do Amor que nos sustenta. Há uma rede de energia que flui constantemente do pensamento do Criador, interligando e nutrindo todos os seres. Essa rede nos vitaliza, permite o pensamento contínuo, orienta nosso progresso e em nossa individualidade nos faz “um” com o Pai e com toda a Sua Criação. Traz-nos infinita paz, harmonia e bem-estar. São nossos equívocos que geram núcleos perturbadores no equilíbrio cósmico e que atraem eventos reparadores, muitas vezes dolorosos e de longo curso educativo.

Quando o homem avança no caminho da evolução, compreende-se como um projeto infinito de Deus e que o tolo egoísmo, a vaidade, o orgulho obstruem suas ligações íntimas com a Grande Rede. Nossas falas, nossos pensamentos, nossas atitudes, como nos explicou Jesus, constituem as energias que impulsionam ou limitam os processos que geram harmonia, bem-estar e felicidade.

É comum encontrarmos pessoas que se utilizam das ferramentas da violência física e mental, da mentira e do erro para conquistar o que desejam, resolver um desafio ou protegerem-se. No entanto, nenhuma ação ou projeto que fira as leis de Deus resulta em benefício, pois não encontra sintonia com a Rede sustentadora. Apenas causará desarmonia e fenecerá.

Quando o Ser descobre que a Força Suprema da vida e do poder criador pulsa em Si e dinamiza com a mansidão, a misericórdia, o perdão, a caridade, o Amor, enfim, o “espírito da força será substituído pela força do espírito”. Assim, compreenderá as palavras do Cristo “busca em primeiro lugar o reino de Deus e Sua Justiça e tudo o mais te será dado de acréscimo”...

O mestre lionês, Allan Kardec, nos ensina que unicamente os Espíritos que atingiram o mais alto grau de desmaterialização podem perceber e compreender o Criado. Uma maravilhosa experiência de Deus, porém, já nos é possível.  Diariamente, após as orações, inspire fundo, relaxe o corpo e com os olhos de sua mente visualize a luz divina se derramando sobre você. Sinta essa luz penetrando pelo alto de sua cabeça e se espalhando pelo seu corpo. Perceba seu perispírito, o corpo do espírito, se expandindo ao contato com essa luz... Você se confunde com essa energia luminosa... Sem empregar nenhum esforço, acompanhe com a sua consciência essa expansão perispiritual que agora parece abranger todo o local em que você se encontra e vai aumentando até você sentir-se envolvendo com essa energia todo o planeta... permita-se perceber uma realidade cósmica... integrando(a) à Consciência Divina. Sinta-se Um com Deus. deixe a plenitude divina trabalhar em você ativando novos níveis de consciência. Não há nada a temer, nada a fazer. você está no colo de sua divina Mãe, de seu Criador, que é todo Amor, perdão e bondade.

Permita-se usufruir desse momento divino. Sinta-se integrado a miríades de estrelas, galáxias, luzes de todos os matizes... Perceba energias deletérias saindo de você e se desfazendo no espaço... Permaneça o quanto desejar nesse santuário de bênçãos e, quando quiser retornar, visualize seu perispírito se retraindo suavemente... serenamente... retornando à terra... ao local em que seu corpo físico se encontra... até identificar-se com seu corpo material. Coloque agora a atenção na sua respiração... sinta o ar mais frio entrando pelas narinas... sinta o ar mais morno e úmido que delas sai... você está de volta à realidade física e todas as conquistas desse momento especial integram-se em todos os níveis do seu ser para sempre!

Texto retirado do livro "Vivências com Jesus", de Yasmin Madeira