Medo e coragem

É comum sentirmos medo?

O medo tem sido uma das grandes aflições da Terra. É comum sentirmos medo. Eles nos indica a existência de uma situação de risco, com a qual podemos nos ferir física ou emocionalmente. Se o medo que sentimos em um dado momento tem como base um evento real ou uma possibilidade viável de um acontecimento negativo, ele é um sinal de alerta, que se justifica e que muito nos pode ajudar se utilizarmos de forma adequada, avaliando a situação, planejando sua solução e buscando amparo e proteção. Em sua função natural de nos preservar, essa emoção é fundamental para uma vida equilibrada.

O medo pode ser ativado por várias circunstâncias que tipificam. Existe, por exemplo, o temor planetário, motivado por ocorrências catastróficas, como terremotos, tsunamis e ameaças de alagamento das áreas mais baixas e litorâneas do globo. Há medo social e econômico, gerado pela falência do sistema financeiro, pelo desemprego. Há o medo local, oriundo da insegurança dos que caminham nas ruas, diante da violência.

Existe um medo, no entanto, de origem intrapsíquica, que elaboramos de forma fantasiosa em nossa mente. Ele pode ser fruto de crenças falsas que assimilamos em nossa mente. Ele pode ser fruto de crenças falsas que assimilamos sem sentir desde a nossa infância, quando, por exemplo, ouvimos dos adultos que o mundo é um local ameaçador, perigoso, um vale de lágrimas. O medo doentio também pode ter raízes profundas e ser furto de experiências traumáticas, dessa ou de outras vidas, muitas da nossa infância atual. Essas vivências difíceis geram energias dolorosas que se infiltram nos tecidos sutis da nossa alma, e vêm à tona quando passamos por situações desafiadoras no presente. Reagimos, então, de forma muito mais intensa do que o necessário ou trazemos para o presente um sofrimento que tinha justificativa no passado distante e não mais no momento atual. Esses medos podem migrar do psiquismo para o corpo, gerando doenças de vários matizes e estados fóbicos, como a síndrome do pânico, que reclamam terapêutica especializada, profissional, adequada.

Em várias passagens do Novo Testamento Jesus trabalha em nós a cura do medo patológico e nos esclarece que, ao nos unirmos a Ele pelas nossas escolhas, pelas nossas atitudes em consonância com os Seus ensinamentos, abrimos campo para Sua ação em nossa vida, nos guiando, protegendo, curando e intuindo. Diz-nos Ele:

“Não se vendem dois pardais por um tostão? Contudo, nenhum deles cai por terra sem o assentimento do vosso Pai. Quanto a vós, até vossos cabelos estão todos contados. Não tenhais medo, portanto, valeis mais do que os pardais (Lucas, 12:6 e 7).”

A raiz latina da palavra coragem (cor, cordis), que significa coração, nos indica que a neutralização do sentimento de insegurança nasce de um potencial intrínseco do ser humano: a coragem. Essa potência é dinamizada pela identificação do tipo de medo que nos mobiliza, pelas estratégias que elegemos para superá-lo e pela força de vontade em coloca-los em ação.

É comum, igualmente, sentirmos um medo exagerado e também um medo fantasioso quando trazemos culpa em nós. Essas culpas podem ser conscientes, quando sabemos identificar as ações e decisões equivocadas, mas agasalhamos energias de culpa inconsciente também, ligadas às vivências que tivemos em outras existências. O serviço voluntário, qualquer ação no bem, a caridade, enfim, ativam de forma automática, energias curadoras que reequilibram aos poucos os padrões geradores de culpa.

Jesus, nosso modelo e guia

No caminho do tratamento de todas as nossas dificuldades temos o exemplo de Jesus, nosso modelo e guia, que agia de acordo com Sua consciência pessoal, integrando-se à Divindade no cumprimento das leis naturais, mesmo que interesses materiais fossem feridos. Ofereceu-nos um caminho seguro: “Buscai primeiramente reino de Deus e tudo mais vos será dado de acréscimo”. Essa é a postura ativadora da coragem moral, para lidarmos com as situações anteriormente descritas, que não se confunde com a arrogância dos que acreditam melhores do que os outros ou infalíveis.

A Doutrina Espírita, com suas reflexões e propostas pedagógicas, é outra fonte de recursos valiosos, que nos auxiliam em nosso processo de amadurecimento, de autoconhecimento, abrindo-nos novos horizontes de atuação na vida, pois, com os conhecimentos que nos traz, oferece-nos instrumenta, que, posto em prática, nos liberta da prisão terrível que a culpa e os medos patológicos nos impõem.

“Vinde a mim vós que estão aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei...”

Não deixe passar o seu período de vida aqui na Terra, irmã(o) querida(o), sem olhar para si mesmo. É seguro. Não tema observar seus medos. Eles não vão se tornar maiores se você os olhar... pelo contrário... tudo o que identificamos com a nossa consciência perde seu poder sobre nós. Procure perceber o que acontece às crises (de medo, de raiva, etc.) . Que pensamentos afloram antes à sua mente? Que emoções? Que sensações em seu peito, em seu corpo? Assim você poderá tomar as procidências para que a crise não venha tão forte e vá se diluindo no tempo...

Vamos agora a um encontro com nosso Mestre :)

Um momento de espiritualidade, que traz, igualmente, recursos de equilíbrio e paz para a dinamização da coragem moral e neutralização das energias patológicas em nossas vidas.

Tensione a musculatura do seu corpo o mais que puder...

Agora solte... Deixe uma onda de bem-estar e relaxamento envolver você da cabeça aos pés. Ela é como uma luz branca que vem do alto, envolvendo a sua cabeça e escorrendo pelo pescoço para todo o seu corpo. Permita-se acalmar...

Inspire fundo. Retenha o ar por uns instantes e expire. Repita a operação. Nesse momento você se conecta a um lugar especial, criado por Jesus e os Espíritos Superiores, situado no espaço. Você irá percebê-lo de acordo com as suas possibilidades e necessidade do momento. Assemelha-se a um jardim, como os que via na Galileia distante. Uma imensa cachoeira de águas vaporosas, luminosas, chama sua atenção. No ar o aroma de terra molhada, de relva macia, das flores coloridas que enfeitam toda a extensa planície que circunda a queda d’água e o rio por onde escorrem as águas.

Não há nada a temer, nada a fazer além de usufruir desses momentos de paz... O Amor de Jesus fala a você através de seu coração. Sinta o suave convite para entrar nessas águas... entre... sinta o contato das águas no seu corpo... observe a sensação... projete sua cabeça sobre as águas que se derramam na cachoeira... nesse lugar você pode respirar normalmente, mesmo sob essa água vaporosa... luminosa...

Sinta que ela se derrama sobre sua cabeça... coloque sua consciência nesse momento no alto de sua cabeça... surge um centro de força captativo das energias sublimes que se derramam sobre você e penetram em seu corpo perispiritual. Esse centro é como uma flor feita em pétalas de luz... uma energia divina penetra por ele e neutraliza as energias deletérias que envolvem lembranças traumáticas do passado... essa luz segue seu curso e vai agora harmonizar o centro de força que você possui entre as sobrancelhas... responsável pelos arcanos da memória e lucidez, esse centro de força se ilumina, como uma estrela engastada em sua testa...

Sua mente se acalma... o caudal dos pensamentos se desfaz... Profunda sensação de plácido silêncio interior emerge em você agora...

Essas águas luminosas seguem seu curso dentro de seu corpo sutil e abençoam sua garganta... energias deletérias que possam ter se acumulado aí se desfazem ao contato da luz...

As águas trabalham agora o centro cardíaco, responsável pelas emoções... pelo seu sistema imunológico... medos, culpas, mágoas, tristezas, vão se dissolvendo ao contato dessas águas vaporosas que exalam uma luminosidade divina... sinta a segurança, o equilíbrio, a harmonia envolvendo você...

Agora as águas vão trabalhar em todas as energias coaguladas no abdômen... todas as matrizes energéticas dos órgãos internos são penetradas e tratadas pelas águas cristalinas...

Sinta essas energias... as águas escorrem pelos braços e mãos... pelas pernas e pés...

Alma irmã, você já pode sair das águas... perceba-se jovem, repleto(a) de vitalidade, de coragem, de paz...

Alma irmã, já pode perceber, nesse recanto de paz, a presença de Jesus envolto em intensa Luz. Vá ao Seu encontro... Receba Sua benção de paz...

Agradeça por esse momento...

Para regressar com sua consciência ao mundo exterior basta colocar sua atenção nas narinas, sentir o ar entrando e saindo... o ar mais frio que entra... o ar mais morno e úmido que sai...

Bem-vinda, alma querida, à sua nova vida!

Texto retirado do livro "Vivências com Jesus", de Yasmin Madeira
http://www.clubedearte.org/livros/livro-vivencias-com-jesus

Que tal um vídeo pra finalizar?

Meditação para Vencer os medos | yasmin madeira