JESUS

Primeiras pregações

Baseado no Livro Boa Nova

A multidão acercava-se dele
Queriam Ouvi -lo
Não entendiam o misterioso magnetismo e o olhar doce e profundo
Para o mundo eram renegados
Mas para Jesus, seus irmãos bem amados

Nas pregações em Cafarnaum e Tiberíades
Queriam vê-lo, senti-lo
Tocar suas vestes
Quem era aquele que falava do reino de Deus tão diferente?
Um reino de fé, justiça e caridade em sua totalidade

Em suas andanças, ouvia a palavra que ecoava:
- Galileu, que fazes na cidade?
E a resposta era sempre clara:
Busco pessoas amigas, a implantarem comigo o reino de Deus!

Peregrinando por Nazaré, Caná e outros lugares circunvizinhos a pé
Eis que chega a uma vila de pescadores
Olha ao redor à procura daqueles trabalhadores que iriam cooperar na implantação de seu reino de paz e amor

O convite foi feito, à André e Simão Pedro
- Quereis ser meus discípulos?
A pergunta foi feita, e eles sem pestanejarem, responderam prontamente:
- Senhor, seguiremos os teus passos!

Assim dois novos amigos, juntaram-se à Jesus, com os corações embevecidos, pois já tinham ouvido a palavra do Messias ecoar em suas doces recordações

Juntaram-se a eles Levi, do qual não titubeou quando Jesus o chamou, mesmo sendo cobrador de impostos

A primeira pregação da Boa Nova foi feita
Jesus falava para os que estavam ali naquele momento
Pecadores, doentes, crianças, homens do povo sem esperança, publicanos, pessoas de todos os cantos, ávidas por ouvirem as palavras de origem divina

Em Cafarnaum, doce luz banhava o alto
O horizonte a juntar- se ao povo cansado, misturava- se a natureza que naquele momento se fazia mais bela
A despojar-se tranquilamente, ao doce perfume que emanava do Judeu da Galiléia

Nina Lisboa - RJ


Ciência

Alcança o infinito,
Bem além da passagem,
Envolve o dendrito,
Quântica viagem,

Sou-me alma, levito,
Afasto-me, permaneço,
Espaço que desconheço,
Um mundo tão bonito,

Nessa alquimia planetária,
Existem sonhos esquecidos,
Deixados na hereditária
Roda dos pedidos,

Sonho é realidade,
Amor é Jesus,
Quando a humanidade
Da Caridade fizer Luz,

E na física desnecessária,
Analisam-se as probabilidades,
Da ciência embrionária,
Das humanas necessidades,

Pensa-te com clareza,
No científico instante,
Onde a prece é certeza
Do mundo adiante,

Nunca perceberá
Os anéis de outros astros,
Se poucamente te guiará
Em terra teu único mastro,

Deixa-te falsos ouros,
Mora-te na Eternidade,
Em outros logradouros
Da Divina Claridade...

Acorda-te tranquilamente,
Pousa-te em morada terrena,
Joga-te em Terra a semente,
Da quântica física Nazarena.

Mauro Augusto de Amorim - SP


Mestre


Ele me norteia e seu ensinamento me seduz
Se estou na solidão e o mundo é como cruz
É Ele quem me resgata
E também acalma a alma.

Suas palavras são sempre oportunas
Em qualquer tribo, qualquer turma
Só não acata quem não quer
É amigo de todas as horas, para o que der e vier

Eu não preciso visualizá-lo para saber que é presente
Tantas vezes esteve ao meu lado, meu coração sempre o sente
E sei que Ele me perdoa por ser ainda tão imperfeita
Ser em construção, pronta pra ser refeita

Eu quero ser seu instrumento
E espalhar a boa nova neste mundo de lamentos
Mas não quero ser chata e impor verdades
Quero viver sua doutrina com muita amizade

A minha oração
Do fundo do coração:

Se minhas imperfeições do dia a dia me afastarem de tudo o que é teu
Toma-me em teu colo, JESUS, FILHO DE DEUS!
 

Valéria Moura - RJ


A Cruz do Martírio

Sangue
Dor
Suplício
Sofrimento

Ele, preso e escarnecido no seu julgamento.

Santo
Imundo
Sagrado
Profano

Fez-se homem pequeno
andou entre humanos.

Seu cilício sufocou a humanidade e nos conduziu à eternidade.

Há quem o julgue:
Mito
Divino
Revolucionário
Profano

O Messias que sucumbiu ao escárnio dos molestadores,
malfeitores,
inquisidores,
raptores da verdade universal.

O sangue que escorreu na cruz
verteu a luz do espaço sideral.

Ele, o cordeiro sacrificado pelos vícios
imundos.
Ele, portador da paz que trouxe algum
conforto ao mundo.

Coroa
Madeiro
Pregos
Vinagre
Nudez

Cristo!
Perdoa nossa surdez,
que a tua misericórdia nos permita ouvir
aquele doce chamado mais uma vez!


Nijinska Nelly - RN


Chamado

Ele me disse no íntimo:
“Vem e segue-me!”
E me alertou desde logo
Que seu caminho
Era para ser trilhado
Com os olhos firmes na meta.
Era estrada pedregosa,
Estreita e de margens áridas.


Ele me disse no íntimo:
“Vai e vence-te!”
E me ensinou pronto e reto
Que não cabe ao homem
Ser melhor que outro homem,
Mas ser a cada dia
Um vitorioso de seu eu,
Ser sem melhor que a si mesmo.


Ele me disse no íntimo:
“Vem, toma de meu vinho!”
E me fez saber do amargo que vem no início
E das delícias do mais à frente.
Aplacou a sede que me abrasava
Há tanto tempo que eu nem sabia desde quando.


Ele me disse no íntimo:
“Vem, este é o pão que sou!”
E saciou minha fome,
Acalmou meu cansaço,
Deu-me o alento que nasce
Da certeza filha da esperança.


Ele me disse no íntimo:
“Vem e toca!”
E preencheu-me de tudo
Arrancando-me tudo:
Todo o meu orgulho,
Toda a minha ilusão,
Tudo o que nunca foi meu,
Tudo o que nunca foi eu.


Ele me disse no íntimo:
“Vem, a minha paz agora é tua!”
E desde esse dia
Nada mais me falta.

Glaucio Cardoso - RJ
 


O mestre e o discípulo 

Pergunta o discípulo:

- Mestre,  o que faremos no mundo, diante de incertezas e dúvidas? 
Diante de ingratidões e azedumes
O que faremos mestre, quando a dor nos for amarga e profunda? 

- Ame meu filho, falou enternecido! 

- O que faremos Mestre, quando não sabemos o que fazer?
Quando diante dos nossos pés há mais pedras do que bons caminhos
O que faremos Mestre quando nos estão perseguindo? 

-Ame muito meu filho, falou comovido! 

-Ah! Mestre!  O que faremos nos momentos de angústia?
Quando a renuncia nos chama para uma vida nova
O que faremos Mestre, para que não sucumbamos em nossa prova? 

- Ame infinitamente meu filho,  falou ao discípulo 

- Mas Mestre, e  mesmo depois de tudo que nos ensinaste, procedemos no mesmo embate? 
Mestre,  me diga o que faremos de verdade? 

- Ame sem esperar reconhecimento
Ah! meu discípulo, ame a cada momento,  respondeu prontamente 

O discípulo confiou
Resoluto e seguro,  assim foi
Amar a todos, eis a meta que Jesus ensinou! 

Nina Lisboa - RJ
 


Humanidade

Amanhece humanidade sob o sol do novo dia,
Aporta sobre o céu a grande embarcação.
Contempla o sorriso num raio de alegria,
Acorda o evangelho e adormece a escuridão.

Da nau que pela história navega a nação,
Ancora os teus passos na doce companhia
De povos e mais povos que aqui renascerão,
Brasil! Pátria augusta da Terra é moradia!

Espiritismo, sagrado solo, flor e oração,
Pulsa pelo espaço toda a vida em poesia,
Perfuma a eternidade e semeia o coração,
Caminha pelos ventos e ao léu se irradia,

Abençoa farol de luz, nosso rumo anuncia,
O planeta de mil estrelas em nova dimensão,
A paz encobre o mundo, o amor é velho guia.
A fé firmada em Cristo faz a nossa condução.

Mauro Augusto de Amorim - SP


A Luz Poética

O Poeta de todos os hinos
O Poeta de todos os sinos
O Poeta divino

O Poeta da dor
O Poeta do amor
O Poeta renovador

Poesia perfeita, 
Que a alma enfeita

O Poeta Universal
Do Amor incondicional

Poesia constante
Música andante

Veio do espaço sideral
E compôs uma sinfonia multidimensional
Um Poeta sem igual!

O som daquela poesia
Na terra ainda se ouve de noite ou de dia
Seus escritos? Sua vida!
Que fina sabedoria!
Seu legado o vento transporta
Por rios e mares
E dos mais distantes lugares
Bate à sua porta

Um Poeta diferente
Que trouxe um olhar inteligente
Um outro tipo de mente
Queria nos ver contentes

Um Poeta encantador
Que longe das algemas do mundo
Conseguiu entender o seu próprio valor
E do quadro mostrou um outro fundo
Uma nova cor

Pintou a tela da unicidade
Gritou aos ventos a verdade
Disse que precisávamos de solidariedade
E nos conduziu à modernidade

Era um simples Galileu
Amor foi tudo o que Ele prometeu
Buscou unir os corações e visitou Zaqueu
Disseram que era o enviado de Deus

Sincera cordialidade
Imensa generosidade
Seu erro: alto grau de moralidade
Que pena! Ainda não estava pronta a humanidade.

Aquela doce expressão
Confundiu nosso coração
E causou um espetáculo deprimente
Assim, o poeta diferente
Foi morto violentamente

E preso a uma cruz
Apagou-se a luz
Era o que queriam ver
Os escravos do poder
Ocorre que aquela luz não foi feita para desaparecer

Ele ainda vive em cada luar
Em cada amanhecer
O seu modo de amar
Convida-nos a crescer
E nós só temos a agradecer:
Obrigada, Jesus, por muito nos doar...
Por nos ensinar a viver!

Nijinska Nelly - RN


Genuflexo                           

 É fácil ajoelhar
 Em louvores a Jesus;
 O difícil é levantar
 E erguer a própria cruz!... 

Gerson Nunes Praça - RJ