O que é "dependência química"?

Marionete.jpg

Buscando expressar de maneira bem simplificada, a dependência química é o desequilíbrio dos estados físico, mental e espiritual que acomete o ser, vindo a torná-lo dependente de substâncias exógenas (externas) e/ou até endógenas (internas) para seu equilíbrio emocional ou para desempenhar atividades ou atos para os quais tenha algum tipo de bloqueio, insegurança ou medo.

Algumas características se fazem presentes na dependência (entre outros):

- O comportamento do indivíduo pode mudar drasticamente, podendo ficar com tendência à solidão como também perder o entusiasmo pela vida social, pelos estudos e pelo trabalho.
- a vida e os relacionamentos sociais e familiares apresentam claras alterações. Podem trocar de amigos, buscando amizades afins e balizando-se pela similaridade com iguais sob as mesmas condições;

- Podem apresentar quadros depressivos, eufóricos, irascíveis ou violentos sem motivação aparente (a violência pode manifestar-se principalmente quando são questionados ou confrontados, sentindo-se então ameaçados ou coagidos);

Em geral, os dependentes químicos apresentam conflitos existenciais ou vazios espirituais, originados ou não na presente encarnação, com os quais julgam não terem forças para lutar. Também podem sentir-se solitários não obstante o carinho que lhe é ofertado e podem, igualmente, sentir uma profunda aversão a fatos que considerem imutáveis ou pessoas de seu convívio (pais, muitas vezes).

Assim, buscando amenizar as dores que lhe afligem o íntimo, como que se automedicam, encontrando nas substâncias químicas o pesado paliativo para seu sofrer...

Porém, a cada vez que se utilizam destes recursos, carreiam para si pelo menos duas situações:

1) não havendo a cura do verdadeiro mal, e desenvolvendo o corpo tolerância aos efeitos, muito em breve o indivíduo busca novamente a sensação de prazer, reincidindo no consumo;
2) as drogas atingem os "mais preservados recônditos bioquímicos dos neurotransmissores" e, assim, organicamente falando, instala-se o "vício".

Daí o termo "Dependência Química", pois a criatura passa a ter, das drogas e de seus efeitos, verdadeira NECESSIDADE.

Por isso, é certo quando afirmamos que um dependente JAMAIS se recupera, não importa quantos anos se passem. Bastará um leve deslize para que a recaída seja intensa, como se jamais ocorresse uma interrupção. E essa recaída, depois de anos sem uso ("limpo"), pode ter início com um simples copo de bebida alcoólica ou nas tragadas de um cigarro comum.

A melhor prevenção é não experimentar.

Texto redigido por: 
GRUPO ESPÍRITA EURIPEDES BARSANULPHO
Oficina “Mário Barbosa”