O papel da família na prevenção das drogas: gravidez

21751896_1933628853558305_2311627536336590893_n.jpg

“Salientando ainda sobre os fatores emocionais estressantes e tormentosos em que a mãe se submete durante o período gestacional, torna-se agente propulsor de provável mutação biológica no feto, alterando o receptor de hormônios. Gerando, assim, graves consequências na infânciaou em outro momento da vida do indivíduo, que poderá ser acionado como gatilho diante de um estímulo.”

Do livro “Reconstruindo Emoções”, do espírito Nise da Silveira, psicografia de Iraci Campos Noronha.

Conforme comentado em nosso texto de apoio anterior, ao pretendermos (ou necessitarmos de) nova encarnação, um sério e aprofundado planejamento é realizado pelo espírito pretendente, sempre assessorado por espíritos mais evoluídos e aptos a essa função delicada.

aprofundado planejamento é realizado pelo espírito pretendente, sempre assessorado por espíritos mais evoluídos e aptos a essa função delicada.

Vimos que a ligação do espírito ao corpo carnal (somático) se dá na concepção (fecundação do óvulo pelo espermatozóide) e que o reencarnante tem uma aproximação com os futuros pais e, estando mais intimamente relacionado com a mãe, dela absorve, além dos alimentos materiais, suas energias, vibrações, sentimentos e sensações.

Também soubemos que a reencarnação pode ocorrer em uma família com espíritos afinizados, conhecidos ou até desconhecidos, conforme as necessidades da constelação familiar.

Por todos estes fatos, nosso enfoque de hoje é a Gravidez.

Conforme citado na introdução deste texto, a influência do estado psicológico, emocional e vibracional da mãe nesse delicado período é de profundidade ignorada pela massacrante maioria das pessoas.

A gravidez indesejada ou precoce que cause transtornos emocionais... tentativas ou pensamentos abortivos... crises familiares... psique conturbada da mãe, uso de drogas (incluindo as lícitas)... são ALGUNS dos fatores que podem influenciar tanto a psicologia quanto a própria genética do ser encarnante, e que virão a culminar, a qualquer tempo, em desequilíbrios de toda espécie (depressão, síndromes diversas, suicídio, drogadição – incluindo alcoolismo e tabagismo).

Podem alguns contrapor que, dado o planejamento reencarnatório e a convivência prévia com a família, estaria o espírito CIENTE das possibilidades dessas condições e eventos sobrevirem... e é verdade.

Porém, para TODOS os seres humanos, a busca consciente por melhorias morais e intelectuais deve ser uma constante. Revendo o conceito da Lei de Causa e Efeito, Jesus disse “É impossível que escândalos não venham, mas ai daquele por quem os escândalos vierem” (Mt 18,7), ou seja, necessário é que surjam situações que nos permitam rever condições em que fracassamos ou novas provações através das quais podemos dar passos mais largos na senda evolutiva. Mas a pessoa que, por suas fraquezas ou mazelas, provocar ou auxiliar a queda ou fracasso de um irmão, será responsável por tal ato, ainda mais se for o fiel depositário (pais). Vide, pois, que a responsabilidade é permanente e muito anterior à gestação.

(Questão 208 – Livro dos Espíritos. Nenhuma influência exercem os Espíritos dos pais sobre o filho depois do nascimento deste? – Resposta: “Ao contrário: bem grande influência exercem. Conforme já dissemos, os Espíritos têm que contribuir para o progresso uns dos outros. Pois bem, os Espíritos dos pais têm por missão desenvolver os de seus filhos pela educação. Constitui-lhes isso uma tarefa. Tornar-se-ão culpados, se vierem a falir no seu desempenho.”)

Salutares e necessários são o equilíbrio emocional, a busca por uma vivência saudável, a existência exemplar dentro de conceitos ético-religiosos... o amor incondicional por si e por todos que o Cristo prega em suas palavras e atos...

Texto redigido por: 
GRUPO ESPÍRITA EURIPEDES BARSANULPHO
Oficina “Mário Barbosa”